Você sabe como é calculada a conta de Energia Elétrica?

Você sabe como é calculada a conta de Energia Elétrica?

Tão essencial quanto ter acesso à energia elétrica, seja em sua residência ou local de trabalho, é a atenção do quanto esse recurso pode ser dispendioso. Mesmo que de modo automático, o pagamento dessa tarifa tem algumas implicâncias no dia-a-dia do consumidor, e pode significar muito mais do que somente um consumo mensal de kWh. Vamos entender mais sobre?

Para uso desse bem, a ANEEL desenvolve um cálculo tarifário para os atuais segmentos do setor elétrico (geração, transmissão e distribuição), levando em conta a infraestrutura de geração, transmissão e distribuição, bem como outros fatores econômicos de incentivos à modicidade tarifária e sinalização ao mercado.

Vale salientar, também, que além da tarifa, os Governos Federal, Estadual e Municipal cobram na conta de luz o PIS/COFINS, o ICMS e a Contribuição para Iluminação Pública, respectivamente.
Os componentes principais da sua conta de energia são:
Custos de Transporte e Distribuição da energia – Os encargos setoriais e tributos são atribuídos por leis e não por tarifas diretas da ANEEL. Os custos da distribuidora são divididos em
Parcela A: Compra de Energia, transmissão e Encargos Setoriais;
Parcela B: Distribuição de Energia.

Essas parcelas somam cerca de 17% do total do preço da energia. Além disso, anualmente as parcelas são reajustadas de acordo com variações da economia e o valor total é deduzido de um fator x, que leva em conta a inflação daquele ano.

Custo de geração da energia – As geradoras de energia, em função de condições de clima e níveis de reservas hídricas, estipulam o preço de custo da geração de energia. O nome da tarifa é conhecido por RAG (Receita Anual de Geração). Ela é composta dos custos regulatórios de operação, manutenção, administração, remuneração e amortização da Usina Hidrelétrica, sendo reajustada anualmente em julho, além de sofrer revisão a cada 5 anos.

Em paralelo, a ANEEL, como forma de facilitar a cobrança, desenvolveu a metodologia das Bandeiras Tarifárias, sendo um sistema que sinaliza aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. O funcionamento é simples: as cores das bandeiras (verde, amarela ou vermelha) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração de eletricidade. A cor Verde é sem aumentos, e Amarela e Vermelha sinalizam aumentos em alguma escala.

A própria ANEEL calculou que os custos de energia representam atualmente a maior parcela de custos (53,5%), seguido dos custos com Tributos (29,5%), como PIS/COFINS e ICMS.

Em suma, o discernimento sobre o que é que faz a sua conta aumentar ou abaixar o valor é importante para que você possa controlar melhor o consumo ou para que possa reivindicar ajustes necessários. A GreenBras preza por instruir as pessoas sobre o setor elétrico, de modo que elas possam optar por gerações mais conscientes e debater mais o assunto.

Venha entender mais sobre esse setor com a gente! E venha ser GreenBras!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *